Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

Viana do Castelo: Árvore araucária-de-norfolk classificada de Interesse Público


A árvore centenária de grande porte (39,50m de altura), vulgarmente conhecida por araucária-de-norfolk, que domina o horizonte da cidade de Viana do Castelo, situada no jardim do SLAT, junto ao cemitério municipal, na freguesia de Santa Maria Maior, tornou-se mais conhecida nos últimos tempos por, nesta altura do ano, ser iluminada com milhares de lâmpadas, o que lhe dá o “título” da Árvore de Natal natural mais alta da Europa.
Este ano, a sua visibilidade aumentou, pois a Autoridade Florestal Nacional acaba de a classificar de interesse público pelo que, segundo este organismo, não poderá ser cortada ou desramada sem autorização prévia, sendo todos os trabalhos efectuados sob sua orientação técnica.

Note-se que, o concelho de Viana do Castelo, tem classificadas de “Interesse Público”, um total de 13 árvores (ver aqui).

Comentários

  1. Talvez fosse de classificar também as magnólias que estão em Darque na estrada nº13 na curva depois do Bairro Social, antes que a deitem abaixo.

    ResponderEliminar
  2. De acordo com a listagem dos Serviços Florestais as três magnólias de folha perene junto à CGD de Darque, não estão classificadas, o que me parece uma pena. Há alguma forma de propor a classificação?

    ResponderEliminar
  3. Em resposta aos comentários anteriores, sugeria a consulta do seguinte endereço:
    http://www.arvoresdeportugal.net/projectos/classificacao-de-arvores-de-interesse-publico/

    ResponderEliminar
  4. A coisa de dois anos solicitei a classificação de três arvores denominadas de Magnólias ao Instituto de Conservação da Natureza .Espécies de interesse publico encontram-se junto a estrada nacional na Vila de Darque.
    Estas arvores ornamentais são arvores de grande longevidade, teem para cima de 200 anos.
    Penso que são as arvores mais antigas em Viana do Castelo e talvez dentro da espécia uma das mais antigas no País.
    É urgente as entidades locais empenharem-se no assunto, hoje 11-4-2011 para meu espanto quando atravessei a localidade verifiquei que andaram a cortar troncos.
    As arvores encontram-se em completo abandono sem cuidados de resguardo , sem classificação , sem sinalética e sujeitas a qualquer tipo de bandalismo.
    Estas arvores teem interesse publico dado á sua idade e espécie.
    É pena que as entidades da freguesia não sejam sensiveis a este tipo de situações.

    ResponderEliminar
  5. Hoje Passei em Darque e reparei que cortaram troncos numa Magnolia junto à estrada Nacional.
    Estes cortes foram excutadas em arvores de interesse publico pois a sua longevidade é para cima de 200 anos.
    É pena que as entidades locais não sejam sensiveis a estes problemas, não dando conta que é um patrimonio a preservar.
    Não são devidamente cuidadas, não tem sinalética, não tem informação , estando sujeitas a todo tipo de bandalismo.
    É pena , destruiram uma duna natural junto a um meio urbano, estragaram o Cais da Ribeira pondo placas de marmore e pedras que nada tem com o local.
    Junto a S. Bras deitaram uma camada de Cimento que o local não passa de uma eira.
    O Cruzeiro estava num local emblemático junto a um grande penedo . Não é um local vulgar mas sim um local com uma certa " magia ".
    No Prado junto a Braga á Uma Capela em cima de uma grande penedo Denominada de S. Sebastião vão lá ver e vejam se colocaram cimento no Local.
    Estes espaços devem ser conservados ,e estudados. As obras a fazer devem ser cuidadas.
    Já chega a capela que não parece mais que um barracão.

    ResponderEliminar
  6. Alerta de um Darquense17 de abril de 2011 às 13:30

    Antes que voltem a fazer atentados contra o Patrimonio da Vila da Darque, é bom dar a classificação rápidamente as arvores em questão, antes que resolvam deita-las abaixo.
    Passo seguinte, para não ficar no esquecimento , saber quem foi " o expert" que autorizou, ou mandou fazer os cortes anárquicos numa espécie protegida , de grande longevidade.
    Não vai ser muito dificil saber quem foi porque vem perto ha´camaras de filmagem, que filmam o espaço envolvente.
    Desta forma pretendo salvaguardar o pouco que resta da minha terra. Penso que estou no caminho correcto porque assim ainda tenho alguma vaidade em dizer que a minha terra tem mais alguma coisa para além de hipers, e cimento armado.
    Darquenses juntai-vos a mim, façam da voz á razão, não deixem destrui o pouco Patrimonio que resta da nossa terra!
    Lentamente vão destruindo a nossa identidade.

    ResponderEliminar
  7. Residente na Quinta da Bouça1 de maio de 2011 às 21:44

    Sou residente em Darque e morador bem perto das 3 Magnólias Centenárias.
    Verifiquei hoje dia 1 de Maio de 2OII, que as Arvores Centenárias apresentam dois placares com propaganda de um motocross em Quintiães um na primeira arvore direcção Darque- Viana, e outra na direcção Viana -Darque.
    Ambos placares estavam pregados nas ditas arvores.
    Tanto espaço para colocar propaganda e foram logo, pregar pregos nas arvores que são Patrimonio da Freguesia.
    Propaganda feita desta forma é um autentico atentado.
    O local deveria apresentar sinalética , a proibir a colocação de objectos nas imediações.
    Desta forma estavamos alertar os incautos que o local é um sitio a respeitar.
    É urgente classificar as ditas arvores e proteger as mesmas de possivel vandalalismo.
    Em pouco espaço de tempo já apareceram duas irregularidades.
    O corte de troncos, e propaganda "pregada" às arvores.

    ResponderEliminar
  8. Novo atentado contra o Património de Darque .
    No dia 14 de Maio de 2011 deflagra um incendio no Monte Galeão.
    São 21h e ainda se vê chamas e fumo.
    Este monte é constituido por uma vasta e densa vegetação onde predomina carvalhos, e pinheiros.
    A estrada de acesso ao topo do monte está uma completa vergonha, cheia de buracos e de ramos que atravessam a estrada duma ponta à outra.
    É urgente fazer limpeza,e arranjo da mesma.
    Porque é nunca se interessaram as entidades locais em fazer do local um miradouro condigno, fazendo do espaço desaproveitado um local aprazivel ,limpo e mais vigiado.

    ResponderEliminar
  9. Hoje dia 2 de Julho de 2011. verifiquei que uma das magnólias em Darque junto á Sird na direcção Darque -Viana junto á estrada n 13sofreu novo atentado ,foram feitos novos cortes .
    Como estas espécies não tem interesse local , sou da opinião que também cortem outras árvores na mesma localidade, tais como sobreiros centenários que se encontram junto á estrada n 13 no Lugar Santoinho.
    Estas arvores apesar de ser antigas ,tem ramos completamentes inclinados na direcção da estrada. A folhagem no tempo das chuvas ,provoca regularmente o entupimento das sargetas.

    ResponderEliminar
  10. José manuel da Vila de Darque4 de julho de 2011 às 11:24

    José Manuel informa que na estrada n13 Darque -Porto , perto de Santoinho,do Lado Esquerdo uma grande arvore encontra-se completamente seca á espera que faça estragos na estrada.
    Caso não se tome providencias a situação pode por em risco até os próprios automobilistas , basta haver um temporal, para isso acontecer.
    Vamos ver se isso não irá acontecer!

    ResponderEliminar
  11. Casa das Artes em Darque4 de setembro de 2011 às 00:29

    Muito recentemente foi inaugurada a Casa das Artes na antiga escola da Freguesia.
    Espero vem que vá ter a função que se destina " A defesa e divulgação do património da Vila de Darque.
    As pessoas a ser escolhidas para dirigir o local estejam a altura da defesa dos interesses da Vila e não seja mais um emprego e tacho para fazer curriculo.
    O que se tem visto até aqui é que a freguesia hoje Vila não é sensivel a diversos problemas tais como :-
    Corte de ramos em arvores centenárias, Miradouro do Monte Galeão e acessos completamente abandonados,Criação do barco alarriba já que é o simbolo da Vila, Destruição de uma Duna de Areia,(Patrimonio ambiental) no centro de um meio urbano onde se podia aproveitar para fazer estudos e servir de atracção turistica dando explicação da sua formação aos seus visitantes.
    O acesso á Capela de S. Brás uma autentica vergonha. Os espaços envolventes não são devidamente acautelados para salvaguardar a antiguidade, destruiram a unica Azenha de Rio Côvo , por pouco não destruiram o Fontenário da Fontinha , o afluente do Rio Lima, o Rio Côvo que nasce em Santoinho o seu percurso foi desviado e encanado não se sabe como ?
    Deixaram tirar e levar para outra localidade, um Jazigo Capela antigo junto a Igreja da Vila de Darque,que fazia parte do antigo cemitério de Darque Menor.
    Tem deixado destruir os acessos da primeira Ponte de Pau,junto à Capela de S. Lourenço que ligava Viana a Darque e vice versa.
    As Pedras do antigo Marachão junto á Capela S.Lourenço ,que foram montados para desvio das Aguas do Rio Lima tem desaparecido ao longo dos tempos.
    A primeira Ponte que Viana conheceu o acesso era feito por Darque.
    Deixaram levar a Senhora das Areias para Braga( Escultura muito antiga) com corôa de pedras preciosas e um manto da Casa do Cais Velho propriedade que foi da Familia Pitas Bezerras.
    A Quinta de S. Brás é um Morgadio muito antigo, tão antigo quanto a Senhora das Areias.
    Actualmente tem-se feito terraplanagens no local. Alguém da Freguesia ou do municipio se preocupou ou lembrou se a casa junto ao local tem valor histórico.
    Fez-se algumas escavações no local para saber se em tempos remotos já havia edificaçoes mais antigas, alguma casa rural de influencia romanica.
    E porque não? O local junto á Casa da quinta tem ( Qualquer coisa de Mitíco),um grande penedo ( Fora do vulgar) com um Cruzeiro em pedra.
    Deixaram roubar da Igreja Paroquial de Darque aqui á uns anos , outra imagem do Século XVIII também da Senhora das Areias.
    Destruiram a lingueta junto ao Cais Velho de Darque onde se fizeram cargas e descargas durante séculos .
    Foi um dos pontos de Darque e da Ribeira Lima mais movimentados onde circulava pessoas e cargas antes da Contrução dos acessos á Ponte Effeil.
    Desapareceu o Marco de Divisão da Freguesia com Mazarefes junto ao Lidel.
    A quando da montagem dos Pre- Fabricados junto ao forno da Cal,no Cabedelo , foram feitas escavaçoes aqui há uns anos ,para montagem dos saneamentos,foram encontradas moedas e demais objectos do tempo do Prior do Crato,( Ano 1580) e no local chegou a haver uma batalha onde morreram pessoas.
    Foram encontrados despojos desse tempo e lembro-me que um antiquário chegou a comprar moedas com a imagem de D. Sebastião.
    As varandas tipicas de casa rural de Darque algumas delas estão em completo abandono correndo o risco de serem desfeitas e vendidas para fora da freguesia como aconteceu a uma portada de uma Quinta na Rua Sacadura Cabral da Tia Dores Lambiqueira portal de entrada, pedras,e Cruz de Pedra foram vendidas e retiradas para fora da Freguesia.
    Criação de uma biblioteca para quem quizesse fazer consulta de diversos livros, já que a Sird possuia alguns. Os responsáveis actuais não mostram interesse até receber livros oferecidos por gente ilustre da terra.
    Desapareceu o Cruzeiro do Cemitério , destruido por manobras de um camião já a uns anos.
    Perante todas estas situações e barbaridades que se teem feito ao longo dos tempos ,que tipo de pessoa vai estar a frente desta nova Casa.
    Vamos ver!

    ResponderEliminar
  12. Cortes de Troncos em Magnólias Centenárias na Vila de Darque9 de outubro de 2011 às 18:41

    Hoje dia 9 de Outubro de 2011 confirmei novamente cortes de troncos nas magnólias de Darque, junto á estrada Nacional N13 perto SIRD.
    Penso que se pretende acabar com as mesmas lentamente para não dar nas vistas, os cortes são feitos de tempos a tempo.
    São as arvores muito antigas talvez das mais antigas do distrito.
    Junto a Santoinho há um sobreiro de grande porte completamente seco ,sujeito a fazer estragos na estrada, mas como a lei protege o mesmo ninguém se atreve a cortar porque só as entidades proprias o podem fazer.
    Tenho a esperança como Darquense que o novo responsável da Casa das Artes recentemente inaugurada vai interferir neste assunto e não vai deixar fazer mais barbaridades no património da terra.

    ResponderEliminar
  13. Mias património que desaparece em Darque22 de novembro de 2013 às 09:47

    Mais património que desaparece de Darque em pleno Novembro de 2013.
    A Eira e um dos espigueiros mais belos de Darque que faziam parte da Quinta de Rio Côvo , foram desmantelados e transportados para fora da Vila .
    A quinta de Rio Côvo , faz parte da história local , sendo umas das mais antigas.
    Para aqueles que desconhecem , em especial para o correspondente local que tem muito aprender , trata-se de um espigueiro que levava 6 carros de pão.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Viana do Castelo 8.º concelho mais exportador do norte em 2016

VIANA | Dia de Feira

VIANA | Atleta vianense recebe apoio para “atacar” Jogos Olímpicos