Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

XXXV Aniversário da Fundação Maestro José Pedro

A Fundação de Cultura Juvenil Maestro José Pedro tem a sua origem na Ex - Escola de Música de Viana do Castelo, fundada em 27 de Novembro de 1975 pelo professor e Maestro “José Pedro Martins Coelho”.
Da Fundação fazem parte uma Orquestra Ligeira, que tem vindo a desenvolver ao longo dos anos um trabalho notável de promoção e divulgação da música em todas as suas vertentes; uma Banda de Gaiteiros para que a tradição da gaita-de-foles no Minho, não seja esquecida, que versa música popular portuguesa da região minhota e transfronteiriça; uma Dixie Band, agrupamento musical constituído por nove elementos (3 Sax, Clarinete, trompete, Trombone, Viola Baixo, Guitarra e Bateria) e um Teatro Musicado, actividade responsável pela defesa e preservação dos usos e costumes do Alto Minho, em que o texto e a música se complementam, num espectáculo que constitui um hino de louvor a Viana do Castelo - Capital do Folclore e Princesa do Lima.
Ao longo dos 35 anos da sua existência, a Fundação Maestro José Pedro tem desenvolvido um trabalho valioso, cujas prestações públicas têm merecido o afecto e o reconhecimento dos vianenses.

Veja aqui o programa comemorativo do seu XXXV Aniversário.

Comentários

Anónimo disse…
Grande instituição vianense! Pena é que nestes últimos dez anos se tenha vindo a desvirtuar... O que é feito da Orquestra Ligeira? Quando esta actua só vejo jovens que não são da nossa cidade?
Uma aluna disse…
Grande Instituiçao vianense, tem razão!
É pena que nos ultimos dez anos, nao saiba apreciar devidamente o que esta escola fez e cresceu.

O que é feito da orquestra ligeira?Devia estar mais atento. E assim comentava com conhecimento de causa.

Uma escola como a Fundaçao Maestro Jose Pedro, tem alunos de todos os sitios, e como com certesa nao conhece todos os jovens da cidade ate é engraçado conseguir reconhece-los todos.

Agora, se entre-linhas quis referir-se aos "musicos convidados", sim, existem em algumas das nossas actuações, mas nao sao elementos estranhos a escola, ensaiam connosco, partipam em outros projectos, e ajudam-nos a evoluir com os conhecimentos e experiencia de cada um.

A Fundação Maestro José Pedro prima pelo seu espirito de familia, musicalidade e dinamismo.

Mas para (des)fundamentar os seus argumentos anonimos, temos todo o gosto em recebe-lo no Teatro Sá de Miranda, no dia 1 de Dezembro,com um custo 2 euros, com actuação da Orquestra ligeira, e outros agrupamentos. Seja Bem vindo!

Mas veja bem, porque problemas de mipopia sao resolvidos no consultorio e nao em blogues.

So mais uma coisa, quando comentamos/criticamos negativamente ou positivamente, devemos ser constructivos e isentos de ressentimentos e aí sim, ha um comentario que mesmo negativo é respeitado.


Cumprimentos,
uma aluna da Fundação Maesro José Pedro
Anónimo disse…
A menina que escreveu o comentário anterior não passa disso mesmo, uma (imatura) menina.
O primeiro comentário deste post faz todo o sentido, pois sendo eu também uma ex-aluna da Fundação constato com tristeza a degradação da nossa escola a cada dia que passa.
Quer um exemplo? A última geração que contactou com o Maestro José Pedro foi toda afastada de forma inadmissível da Fundação. Foi talvez o melhor conjunto de alunos e alunas que a escola alguma vez teve e quantos estiveram no almoço de ex-alunos? Onde estão o Belo, o Ramalho, os Gémios, o Felgueiras, o Nélson e tantos outros que deliciavam Viana com a sua boa disposição e orgulho na camisola que vestiam? Se calhar o Sr. Fernando Baganha tem que pensar nisso e não apenas no seu umbigo.
Quanto aos músicos convidados, não é verdade que participem nos ensaios e nas actividades, apenas são convidados a participar nas actuações (e alguns deles são pagos para isso, coisa que nunca se viu na Fundação!!!).
Por fim, quando fala em família, concordo plenamente. Aliás, foi sempre esse um dos propósitos do Sr. Fernando Baganha, fazer da Fundação uma montra à força da sua família. Por isso é que as coisas estão como estão.
Acredito que seja muito jovem, menina, mas convém abrir os olhos para não se deixar enganar. Tenho 41 anos e já passei por muita coisa, portanto é um conselho que lhe deixo.
Anónimo disse…
Quem assistiu ao espectáculo a "a velha praça" viu uma Fundação viva, feita por alunos da escola, a apresentar o que de melhor se faz em Viana*

Parabéns à fundação!
Ex-aluno disse…
Sou um dos ex-alunos mencionados no comentário da ex-aluna da Fundação (um dos vários que tanto orgulho tinham em ser alunos daquela Escola!). A única coisa que quero dizer é que subscrevo completamente esse comentário aqui publicado. Tenho um enorme orgulho em dizer que o meu passado esteve intimamente ligado à Fundação. Infelizmente, é com uma mágoa igualmente grande que acompanho o presente da Fundação, e a sua desvirtuação progressiva. De que vale fazer bons espectáculos ou boas actuações se os pilares que sustentam essas performances não são alunos da casa??????
Está na mão dos actuais alunos não deixarem morrer este projecto que tanto dignifica a nossa cidade. Da minha parte eu dei tudo (muitas vezes mais do que aquilo que seria razoável) pela Fundação, e se voltasse atrás no tempo, voltava a comportar-me da mesma forma, com a mesma garra e carinho. Infelizmente, o meu caminho terminou, pelo que o presente e futuro da "escola de música" já não depende de mim...
Espero sinceramente que a Fundação recupere os valores de outros tempos, e que continue a ser uma referência para os Vianenses!
FUNDADORA disse…
PARABÊNS FUNDAÇÃO PELOS 35 ANOS, CONTINUEM A TRABALHAR POR MUITOS MAIS.JÁ DIZIA O MAESTRO " OS MEUS ALUNOS SÃO OS MELHORES DO MUNDO",
UMA SAUDAÇÃO MUITO ESPECIAL AO SENHOR FERNANDO BAGANHA.
OBRIGADA POR DIDNIFICAR CADA VEZ MAIS O NOME DO SEU PAI ( MAESTRO JOSÉ PEDRO)E FAZER DA ESCOLA DELE UMA GRANDE INSTITUIÇÃO PARA OS NOSSOS JOVENS.
um vianense disse…
Parabéns à fundação


Se quem faz estes comentários não construtivos estivesse presente nas actividades da fundação viria que não é verdade o que mencionam.


Podem-me dizer que intervenientes no ultimos espectáculo da fundação-a velha praça- é que não são alunos/professores?não digo 100% mas será quase.Quem conseguir refutar que o faça.

Se observarem bem, os alunos da fundação tem muito valor e esta tem sabido fazer uso disso.

Parabéns pelo trabalho que tem vindo a desenvolver.
Anónimo disse…
Só quero deixar uma questão...
Como é que é possível dizer que a Fundação não está desvirtuada e ao mesmo tempo dizer que os intervenientes no espectáculo são os alunos e os PROFESSORES?
Sendo assim, porque é que não se pede aos professores do ensino Secundário para fazer os exames nacionais, para Portugal subir no ranking europeu de ensino secundário?????????????
O problema da Fundação é mesmo esse... antigamente a Fundação eram os "miúdos do Maestro José Pedro", e agora são as aparências!
Anónimo disse…
Quem acha que a Fundação está mal, apareça com novos projectos, vontade de trabalhar, e com muito amor á camisola, e se conseguir melhores resultados dos que têm sido alcançados até hoje, seja muito bem vindo.
a critica deve ser construtiva e não destrutiva.
Anónimo disse…
Fico muito triste com alguns destes comentários... isto mais parece um tanque de lavar roupa... (mas uma roupa muito suja...)
Anónimo disse…
comparar um espectáculo da fundação com exames nacionais??

Será que os professores também não colaboram com os alunos nas actividades que são desenvolvidas nas escolas?

O importante não será levar a cabos projectos que permitam levar o nome da cidade de viana bem alto, do maestro Ze Pedro, e acima de tudo promover a aprendizagem coletiva.

Não será extremamente gratificante os alunos verem que os seus professores estão envolvidos nos mesmos projectos que eles?não estarão à aprender juntos?

Ai é que vocês se enganam...a fundação não é uma escola...é uma família. E como família, o espirito de partilha existe. Assim a fundação é diferente

Mas acham que a fundação procura subir em ranking? A fundação não quer competir com ninguem. Não percebo qual o problema de verem uma instituição a apresentar trabalho de qualidade.
As parcerias são sempre de louvar. As instituições que vivem fechadas sobre o seu umbigo não terão fututo

O importante é fazerem-se projectos.

Por isso façam-se coisas por Viana e pela valorização dos nossos jovens.

Tenho dito
ALUNA HÁ 34 ANOS. disse…
Aos actuais e ex alunos, dirigentes, professores e colaboradores.
AMIGOS ! A fundação Maestro José Pedro é uma mega familia alargada. E tál como uma familia, existem momentos de discordancia , conflitos, zangas e amuos, mas tambem alegrias, convivio , partilha e união. BAIXEM AS ARMAS NÃO ESTAMOS EM GUERRA.
Engana-se quem diz que o obectivo do MAESTRO , se disvirtuou. Ele queria desabruchar novos talentos no mundo artistico, fosse na musica,
canto ou teatro.Os Parcos recursos da altura, limitaram a amplitude do objectivo que ao longo dos anos foi crescendo , fortificando e melhorando. Não importa quem faz , desde que seja com o mesmo espirito, orgulho e grandiosidade de se sentir pertença de uma ou outra maneira, à fundação Maestro José Pedro. Todas as gerações foram boas e importantes, todas elas são orgulho do Maestro, todas elas fazem parte de uma realidade historica. A « Nossa escola», é de genuinamente vianense. Ninguem se sinta preterido porque todos estão no coração
desta grande « FAMILA».
Hugo Rodrigues disse…
A Fundação é uma Instituição que fez parte do meu passado e por isso tenho que a respeitar.
Penso que o objectivo deste blog não é fazer críticas pessoais e também acho que isso não é positivo. Se alguém tem alguma coisa a dizer, que o faça pessoalmente.
Isto não quer dizer que não concorde com algumas das coisas que foram aqui escritas, mas posso-me orgulhar de ser uma pessoa frontal e de ter assumido pessoalmente todas as minhas posições ao longo da minha vida. Foi assim que fui educado e é assim que eu acho que devemos ser. É também por isso que assino este comentário. Discutam a Instituição, porque é ela que é importante e não as pessoas.
Parabéns pelos 35 anos, FUNDAÇÃO.
Anónimo disse…
PARA QUEM CRITICA.

Valeu a pena, deu resultado, brilhamos, sobressaimos, valorizamo-nos. Dizem os velhos do restalo que nos disvirtuamos.
Sim, disvirtuamos-nos de um caminho que não se regia pelas horientações, principos e reipeito mutuo, valorizados e enraizados pelo ZÉ Pedro.
Não se esqueçam, que os alunos de ontem são os professores de hoje. Somos os mesmos, agora mais maduros e mais cientes da nossa responsabilidade, de elevar cada vez mais, e cada vez mais alto, o orgulho do que é bem feito pelos velhos e novos alunos, professores, dirigentes colaboradores.
Somos
todos filhos do mesmo pai que ao fim de 35 anos realizou o seu sonho ao formar artistas. Musicos, actores, dançarinos e cantores.
Viva a Fundação Maestro Jose Pedro.
Anónimo disse…
Parabens Fundação Maestro Jóse Pedro,pelos trinta e cinco anos de existência.Obrigada pelos espéctculos que apresenta aos vianenses,e pelo dinamismo e qualidade da vossa escola onde os meus filhos crescem num ambiente saudável e familiar.
Anónimo disse…
Parabens Fundação Maestro José Pedro,pelos seus trinta e cinco anos de actividade.Obrigada pelos espectáculos apresentados no aniversário,e ao longo do ano sempre com dinamismo e qualidade.Bem hajam pela vossa escola onde os meus filhos crescem num ambiente saudavel e familiar.
Anónimo disse…
Hugo, conhecemo-nos há 20 anos e acho que estás a ser correto demais.
Não te esqueças do que te fizeram as pessoas que estão a tomar conta das "rédias" da Fundação (já te disse isto pessoalmente numa conversa que tivemos). Sabes perfeitamente que são essas pessoas que jerem a nossa Escola à luz dos seus interesse pessoais, alinhando em todo o tempo de compadrios à espera sabe-se lá de quê.
A nossa geração foi das mais dinâmicas e neste momento não tens lá nenhum representante, nem sequer nos convívios de ex-alunos (excepção para os "professores"). A maior parte das pessoas que está a escrever aqui está cheia de demagojias, mas nem sequer conheceu o Professor José Pedro como nós conhecemos, portanto é dexá-los falar.
Não posse deixar de olhar para trás e sentir que o Mário tinha razão em quase tudo o que dizia...
Querem continuar a atirar areia para os olhos dos outros? Força, mas em mim não acertam!
Anónimo disse…
deixem-se de guerras...

como já foi dito(baixem as armas)

fico triste com alguns comentários que vejo por aqui escritos*
Anónimo disse…
Quanta mais publicidade melhor. Continuem, assim todos terão vontade de julgar pelos proprios olhos. Aumentar as nossas audiencias e valorizar o nosso prestigio que tanta inveja tem provocada.
Actual aluna disse…
Depois de ler estes últimos comentários não posso deixar de escrever aqui a minha opinião. Sou uma aluna da Fundação, que tal como muitos dos que aqui escreveram, tem muito orgulho em pertencer à escola. No entanto, o que se passou com os gémeos não me deixou indiferente e fez com que eu pensasse seriamente que já não fazia muito sentido continuar na escola e, em particular, na orquestra. O Hugo e o João sempre foram um exemplo para nós. A entrega e boa disposição que eles nos mostravam sempre me inspiraram naquela escola. Acho inadmissível que por causa de outros interesses, a escola abdicou dos nosso amigos GÉMEOS, que tanto nos deram a nós, alunos, e à Fundação. Se não fosse por respeito ao Manel Marques, eu também tinha saído, e sei que houve várias colegas minhas e colegas meus que pensaram o mesmo. Confesso que tenho uma esperança secreta de ver o Sr. Baganha e a direcção a assumirem que erraram e a tentarem que os gémeos voltem, pois por mais que tentem enganar as pessoas, a mística da Fundação começou a desaparecer a partir do momento que esta situação aconteceu. Sei que esta é uma opinião partilhada por outros alunos, e acho que está na altura da direcção da Fundção tentar reparar um erro que nunca devia ter acontecido! Por favor, assumam os erros e tentem corrigi-los, a Fundação agradece (e os alunos também!).
Anónimo disse…
o problema da fundacao é k à mto tempo k deixou de colocar os alunos em primeiro lugar. o importante é k a camara e a vianafestas (entre outros) estejam contentes, o resto é paisajem.
João Rodrigues disse…
Apesar de já estar a seguir estes comentários há alguns dias, até agora optei por não escrever nada, pois confesso que a minha saída da Fundação é uma ferida que ainda está longe de estar sarada. No entanto, acho que está na altura de dar a minha opinião. Concordo plenamente com o Hugo, quando diz que o mais importante é discutir a Fundação, e não as pessoas ou atitudes. No entanto, ao ler tudo o que tem sido escrito, há duas conclusões que para mim são evidentes, uma positiva e outra negativa:
1 - Tal como já foi dito várias vezes, a Fundação é uma família, e fico contente por constatar que além dos actuais alunos/professores/dirigentes, existem muitas outras pessoas, nomeadamente ex-alunos, que se interessam pela Fundação, ainda que à distância. É este tipo de atitude que torna esta instituição diferente da maior parte das restantes. Posso até dizer que ser aluno da Fundação é como andar de bicicleta, nunca mais se esquece! :)
2 - Torna-se também óbvio para mim que, infelizmente, a Fundação não é uma instituição consensual em Viana. Provavelmente os principais motivos estão relacionados com o seu passado recente, que desde cerca de 2003 tem sido rico em situações envoltas em alguma polémica. Sendo assim, acho que independentemente de se concordar ou não com tudo o que tem sido escrito, a discussão que tem acontecido neste blog deve servir para alguma reflexão, de forma a encontrar-se um futuro mais harmonioso para a instituição. Tentar passar por cima dos comentário menos negativos, chamando-os sempre de "lavagem de roupa suja", "falta de conhecimento de causa", ou apelando a "baixar as armas" parece-me, pessoalmente, uma forma de tentar desviar atenções de alguns aspectos que até poderão ter um fundo de verdade.
Tal como o meu irmão fez, também eu assino o comentário, pelos mesmos motivos dele.
E, já agora, terminando com o tópico deste post, quero dar os parabéns à Fundação, por mais um aniversário!
Anónimo disse…
deixem-se de guerras...
A mama acabou ! disse…
Hoje li no jornal que o Governo quer a extinção da Fundação José Pedro.
Agora compreendo como uma fundação faz tudo ,sendo a melhor na apresentação,na banda, na farda etc.
Os financiamentos publicos acabaram , agora se quizerem sobreviver é á sua custa.
Quem fazia do local como emprego vai ter de se haver com dificuldades a " mama " vai acabar.
Ao fim destes anos compreendi que os bons só fazem coisas com a ajuda do " Dinheiro" de todos nós . O Contribuinte.

Mensagens populares deste blogue

PRAIA NORTE | Marginal pedonal vai abrir ao público

VIANA DE ANTIGAMENTE | Chafariz da Praça

"World Explorer" made in Viana do Castelo

Romaria D’Agonia 2017 | Programa provisório