Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

E o vencedor é… Olhar o Minho!

"Olhar o Minho" foi o jardim mais votado pelos visitantes do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima 2014, este ano subordinado ao tema "Jardins em Festa”, que encerrou no final de outubro. 
Como o mais votado, o jardim Olhar o Minho vai manter-se em exposição, juntamente com as 11 novas criações que vão ser selecionadas para a 11ª edição do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima, em 2015, que terá como temática "A Água no Jardim”. 
O jardim vencedor é da autoria dos alunos do 2.º Ano de Engenharia Agronómica (Ramo Espaços Verdes) – Escola Superior Agrária de Ponte de Lima / Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESA/IPVC) Alunos do 2.º Ano de Design de Ambientes – Escola Superior de Tecnologia e Gestão / Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESTG/IPVC). 

 “Olhar o Minho é um jardim concebido numa alusão à alegria e exuberância das festas tradicionais, em particular das festas do Minho. Nestas, a mulher e o vinho têm um papel destacado. A mulher, desfilando e dançando com os seus trajes de festa e o vinho, como elemento aglutinador de alegria e de vivências. O jardim desenvolve-se à volta de um pipo de madeira e chapas metálicas perfuradas que permitem a comunicação visual entre o interior e exterior do pipo. No interior, o visitante encontra uma figura feminina alusiva à mulher minhota que, com o seu movimento, o convida a integrar as danças dos arraiais. A minhota e o pipo são circundados por um caminho, que é ao mesmo tempo um olho que possibilita a contemplação da paisagem minhota, entre o mar e a serra, tal como é vista pelos romeiros no seu caminhar para os santuários e lugares sagrados”.

Saiba mais sobre este Festival, clicando AQUI e AQUI.

"Olhar o Minho" o jardim vencedor do Festival 2014




Comentários

Mensagens populares deste blogue

VIANA | Dia de Feira

Viana do Castelo 8.º concelho mais exportador do norte em 2016

VIANA | Atleta vianense recebe apoio para “atacar” Jogos Olímpicos