Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

Cartaz da Romaria da Agonia 2011


Foi apresentado ontem à noite o Cartaz das Festas de Nossa Senhora da Agonia de 2011.
Depois das críticas que o cartaz da Romaria do ano passado gerou nas redes sociais na Internet, o deste ano foi escolhido através de concurso público, ao qual concorreram 36 trabalhos.
O cartaz vencedor é da autoria de Félix Iglésias, fotógrafo de Viana do Castelo, que necessitou de enviar doze trabalhos para ganhar o concurso.
O Júri que escolheu o cartaz que vai divulgar a Romaria da Senhora da Agonia de Viana do Castelo de 2011 foi composto por 7 elementos representando as instituições: Câmara Municipal de Viana do Castelo, VianaFestas, Comissão de Festas, Real Irmandade de Nossa Senhora da Agonia, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Associação Empresarial de Viana do Castelo e Associação Portuguesa de Design.
Todos os trabalhos que se apresentaram a concurso vão ser expostos durante a edição 2011 da Romaria.

Comentários

Anónimo disse…
Simples. Nada de Especial. Normal.
Realce para a jovem que aparece no cartaz ser bem bonitinha (não fosse ela da Ribeira de Viana, zona onde eu nasci e resido).
Anónimo disse…
Muito bonito! Simples mas muito belo! Este ano, mostramos o que Viana é verdadeiramente!
Anónimo disse…
Nada de novo
Rui Silva disse…
Está um cartaz interessante mas, onde está a referência/inspiração no vinho da região como estava patente nas regras do concurso?
Anónimo disse…
Nada de novo!!
Mais um ano e nenhuma abordagem nova. Fico a aguardar pela exposição de todos os cartazes nas festas da Agonia para confirmar se este é realmente o melhor...
Só tenho a perguntar aonde é que estão os temas que o concurso obrigava a evocar?!!

Passo a citar :

14. O primeiro tema da Romaria será a Marca de Viana:
Quem gosta vem
Quem ama fica
Fica no coração

15. O segundo tema será “Viana do Castelo, Cidade do Vinho 2011”.

Pelo menos o segundo, tirando o logótipo não aparece..

Abraço
Anónimo disse…
Ora a ver se o proprietário anónimo deste blogue coloca o comentário de um anónimo desta vez! Este não é um cartaz, mas tão somente uma fotografia e ainda por cima mal tratada para quem se afirma como profissional. Da mordoma (que foi o objecto das críticas do ano passado) não há nada a dizer. Lamenta-se que se insista nesta coisa do disfarce quando o jogo continua viciado!
Anónimo disse…
O costume. Continuo a achar que não tem qualidade gráfica. Pode ter qualidade FOTOGRáfica,tem um colorido bonito mas, no resto segue as linhas do costume... antiquado!!Não faço comentários sobre a pessoa fotografada porque continuo a achar que não é esse o valor do cartaz, como não foi o desprimor do ano passado.
Anónimo disse…
Sempre é mais bonito que o do ano anterior. A jovem é bonita e elegante. Mesmo assim Viana tem muitas coisas bonitas para colocar em cartaz. Mas parabéns, gostei.
Anónimo disse…
É pena que a Senhora da Agonia e os pescadores mais uma vez ficam de fora... Também sou da ribeira mas o cartaz nao representa em nada as festas de Viana, a lavradeira é lindissima mas não é por isso que vou gostar do cartaz. Agora ja nem a nossa Senhora aparece, vergonhoso mesmo a festa devia-se chamar Festa das Lavradeiras e nao Festa da Senhora da Agonia padroeira dos pescadores e nao dos trajes.
Johnny disse…
Os outros eram tão pirosos que mais valia escolher esse. :D
E, como o costume, há sempre comentários sobre a qualidade gráfica, se calhar muitos dos que aqui comentam porque não fizeram uma proposta? É verdade dá muito trabalho e ainda por cima sem receber.
Eu acho o cartaz bonito, para mim o mais importante é o programa das festas. Quanto a inspiração/referência ao vinho deve ser um lapso.
Agradar a Gregos e Troianos é impossível.
Anónimo disse…
Este cartaz nao é o adequado para anunciar as Festas de Viana, parece mais um cartaz para um convite de Rancho Folclorico. Demasiado escura a imagem de fundo e nao sei porque teem que colocar sempre pessoas no cartaz quando ha muitas formas de embelezar um Cartaz sendo este o primeiro sinal para cativar pessoas a virem as festas. Os cartazes de anos anteriores eram muito mais bonitos e nao havia nada dessas novas tecnologias.
capitão disse…
Eu gosto!
Esta chave abre sempre portas!
Um rosto bonito, um corpo ágil, um gesto elegante.
Não há maior promessa de futuros!

PS: porquê tanto anónimo?
Ilda Silva disse…
RESPOSTA AO COMENTÁRIO DAS 17h 23m
"Ora a ver se o proprietário anónimo deste blogue coloca o comentário de um anónimo desta vez!"

Pelo que tenho visto neste blogue o/a bloguista de olharvianadocastelo coloca muitos comentários anónimos no seu blogue. Como podemos constatar a maior parte dos comentários são anónimos . Bom seria que as pessoas, em vez de criticarem, e insinuarem que nem todos os comentários são publicados dessem a cara por aquilo que escrevem ... ILda Silva
Parabéns pela escolha. disse…
O cartaz está bem enquadrado e discreto, a Lavradeira está bem trajada,e o ouro bem colocado.
Não tem exageros.
O momento escolhido,a descrição , a simplicidade, e o momento fez com que a fotografia se tornasse vistosa.
Apesar de não conhecer a pessoa em causa , julgo que ao natural ainda mais bonita deve ser.
Tem ar de Viana ,é vistosa , é uma mulher bonita.
Parabéns pela escolha, as regras de concurso definitivamente entraram no caminho certo.
O tema do Vinho. disse…
Caro Rui Silva informo que escolher o vinho como tradicão de Viana , foi uma grande asneira.
Viana não tem tradiçoes no vinho.
Sabia que os lavradores da região limitrofe de Viana , tem de levar as uvas para a Adega Cooperativa de Ponte de Lima, Viana nada fez para continuar e manter a Adega Cooperativa de Viana do Castelo em Mujães.
Quanto ao resto o vinho produzido á beira mar como Anha e não só ,não tem qualidade de bom Vinho Verde.
Os bons Vinhos Verdes não se produzem em terras lentas, mas sim em terras de encosta.
JARRA disse…
Uma coisa é certa: pela quantidade de anónimos comentadores, aos vianenses custa-lhes dar a cara!
Já o mesmo não se pode dizer da sorridente mordoma - esse mérito, o de dar uma bela face, ninguém lhe tira!
Quanto ao cartaz ser inovador estética e graficamente, ficará para quando as festas também o forem!
Anónimo disse…
Acho o cartaz muito simples e bonito, bem conseguido... Agora fugindo um pouco ao tema do cartaz e virando um pouco para o programa das festas, acho muito bem manterem-se as tradiçoes da nossa regiao, com o folclore, zes pereiras, mas para quando alargar este programa das festas ao espectaculo de um artista conceituado, um grupo conceituado,durante os dias de festa,acho que daria tambem outro colorido a estas magnificas festas... Bem haja a todos os envolvidos na realizaçao desta grandiosa romaria.
Rui Silva disse…
Concordo com tudo que disse acerca do tema do vinho, contudo continuo a afirmar apenas que uma regra do concurso não foi na minha opinião seguida. Duvido que as indicações do concurso, relativo ao tema do vinho fossem facultativas, e de certo concordará que o cartaz (por interessante que seja e muito melhor comparado com o ano anterior) não apresenta qualquer alusão ao tema do vinho.
A vianense disse…
Nada de novo! Mas bonito! Realmente não sei qual é o interesse de colocar uma Figura feminina( onde fica a igualdade de oprtunidades entre homens e mulheres que tanto se fala?) no referido cartaz e de posteriormente ser alvo de critica ou chacota ferindo a protagonista, a beleza felizmente não é igual para todos. Acho também que realmente foram descoradas simbologias que caracterizam a Festa nomeadamente a Religiosa e o povo do Mar, talvez para uma próxima deixemos de lado a figura feminina (com todoa o respeito por quem nele surge) e passemos a englobar o que mais interessa às tradições, até porque muito da festa tem sido perdido. Mordomas pintadas no cortejo etnogáfico e pessoas "desesperantes" que chegue o dia dos tapetes para apanharem grandes pielas e nem olhando ao que está a ser feito e por vezes destruindo o que foi feito, mas enfim é o que temos.
Traje de Festa ( Fato de Lavradeira) disse…
Oh ! Senhora Vianense tenha paciência, a componente religiosa em qualquer festa é sempre a parte vista com a maior regularidade e comum em qualquer região.
Agora os trajes Regionais da nossa terra são cultura única no País.
Alguma parte do nossos Portugal,vê-se no campo etnográfico tal variedade de vestimentas.
Em relação á pessoa não me diga que queria um homosexual vestido de lavrador!ou porque não um travesti vestido de lavradeira.
Não há duvida que uma mulher bonita tem uma simbologia própria , encanta um cartaz, a capa de uma revista,um desfile etc..
Além do mais o fato em questão, tem uma razão de ser; Em qualquer Romaria do Alto-minho não havendo lavradeiras não á festa são elas que animam a terra e fomentam as tradições.
O fato de Lavradeira representado no cartaz é efectivamente o unico fato que se caracteriza como tal , o fato de Festa.
Os outros não fazem parte da componente "FESTA" , quando se faz uma "MORDOMIA " ou seja a visita á cidade e as autoridades,é este fato que destaca a festa, o resto e paisagem.
Por vezes vemos freguesias a fazer a Mordomia à cidade trazendo todo o tipo de trajes ,tais como de campo, meias senhoras, noiva, e outros.
Está errado os outros fatos não fazem parte da festa, o único e como simbolo é o traje de Lavradeira nas suas variantes (cores).
Os outros fatos são unicamente usados em desfile como o cortejo etnografico, para representar os costumes da terra.
Maria Alentejo disse…
A maior parte dos comentários faz-me lembrar a história do rapaz, do velho e do burro, nem que o cartaz fosse bordado a ouro, contentava toda a gente.
Eu sou do sul, mas admiro muito as vossas festas, desloco-me aí de prepósito para ver essa imagem de um Portugal genuíno.
Um conselho: continuem com a vossa festa, o cartaz tem pouca importância. Interessa que ela atraia visitantes que deixem dinheiro na vossa terra, para que Portugal possa pagar as dívidas mais depressa.
Complexo de perseguição . disse…
Esta terra foi sempre invejosa e mesquinha.
Nunca estão contentes, passam a vida a pôr defeitos, e a inventá-los.
Se está bem é porque está mal, se está mal é porque está bem.
Teem complexo de perseguição.
Perdoais-lhes Senhora da Agonia.
Jacinta disse…
Boa Tarde,
Todos podem comentar e criticar, mas se nada fizeram por melhorar deviam era estar calados. Isto lembra-me a politica votar todos podem, mas nem todos os fazem, no entanto todos criticam! Se querem algo melhor ou diferente passem à acção e não só mandar palavras para o ar.

Mas falando do que realmente interessa. Sou do Distrito de Viana e digo-o com muito orgulho e vendo um cartaz como este afirmo-o muito mais. Sinceramente o cartaz está muito bom, retrata um ponto importante da nossa cultura regional e que não deve ser esquecido.. Este ano é este o tema para o ano será outro. Agora também não queiram uma salgalhada de cartaz com tudo lá dentro...

Parabéns pelo trabalho ;)
Jacinta
Em contante " Agonia ". disse…
Esta Terra é uma constante Agonia, estão sempre a implicar com o raio do cartaz !
Realmente é como nos diz a nossa visitante do Alentejo,o que realmente interessa é a festa em si.
Que se faça todos os anos com empenho ,e garra.
É valor cultural a preservar.
kabr disse…
Criticas que destroem...
Aprendam a criar criticas para construir...Quem nunca fez melhor não pode criticar.
Anónimo disse…
Não percebo como a associação portuguesa d Design, repito de DESIGN, concordou na escolha de este cartaz.
Granha disse…
Belissimo
Anónimo disse…
Na minha modesta opinião, o que sempre esteve de facto em causa é somente o facto de um fotógrafo, "estrangeiro", ter tido o atrevimento de ter vindo, de um feudo alheio, perturbar o confortavelmente instalado "lobby fotográfico vianense". E com a justificação habilidosa, diga-se, de se ter aberto este ano, muito Democraticamente, um "Concurso" púbico, eu diria, um "PEDITÓRIO" público, que nenhuma crise justifica, pois NÃO há qualquer prémio a atribuir, nem mesmo ao cartaz vencedor, foi finalmente reposta a situação em causa e tudo voltou, com toda a Transparência processual, ao principio, isto é, à mais que estafada solução da simples fotografia, da autoria de um fotógrafo profissional, mas da nossa praça. Senão vejamos: Sem nunca colocar em causa o indiscutível profissionalismo, carreira e competência do conhecido fotógrafo vencedor vianense, pergunto: Não existindo prémios neste concurso, e porque a apresentação destes trabalhos requer investimento, quem está melhor posicionado logo à partida do que um fotógrafo profissional, COM laboratório próprio para o fazer? (No caso do vencedor apresentou 12 trabalhos). Que possibilidades/incentivos para quem estivesse interessado em apresentar um desenho, uma colagem, uma pintura? Veja-se o desinteresse pela participação neste concurso reflectido no reduzido numero de 36 trabalhos apresentados, dos quais 12 são da autoria do fotografo vencedor. Tendo sido divulgado que também tinham participado muitos estudantes de Design, que certamente no âmbito das suas actividades académicas não suportaram custos com a sua elaboração, muito poucos terão sido os que, mesmo sabendo da inexistência de prémios, terão concorrido. Por outro lado, que esperar de um júri, (onde só faltou 1 representante da Comissão dos vinhos verdes), composto por 1 representante da Camara, 1 da VianaFestas, 1 da Comissão de Festas, 1 da Real Irmandade da Nª Srª D'Agonia, 1 do Instituto Politecnico, 1 da Associação empresarial e só UM, verdadeiramente qualificado para tal, pasme-se, o da Associação Portuguesa de Design? Que qualificação têm estes 6 elementos para este efeito? O sr. Presidente da Câmara, segundo li, declarou : (leiam, pf, com atenção) ... é um cartaz que traduz a beleza da festa, que tem muito a ver com as nossas gentes da ribeira mas também a verdadeira festa nacional do Traje”. E está tudo dito... É aceitável que a designação das Festas seja Romaria da Srª d'Agonia em vez de, de Nossa Senhora d'Agonia? (Não basta já terem amputado, no novo logotipo de Viana, o "do Castelo" )? Faz algum sentido ter de figurar no cartaz a indicação de "Cidade do vinho 2011"? O "Cartaz" (para mim é uma simples fotografia?), é pobre e por demais minimalista pois não tem os elementos nucleares que caracterizam a Romaria de Nossa Senhora d'Agonia. Onde está o mar? Onde a alusão, que seja, à Santa? Onde, pelo menos um, dos restantes elementos caracterizadores: Gigantones, Procissão ao mar, Fogos, Mordomia, Ribeira com suas gentes do mar e seus tapetes floridos, caravela/galeão vianense? A Romaria é, pois então, uma lavradeira jovem, sim, que nestas coisas até o seu par masculino já foi há muito eliminado, desde que tenha, isso sim, é FUNDAMENTAL, uma carinha de modelo. Que traz este cartaz de novo, de inovador, de criativo? Onde está o design? A simples colocação do lettering também deixa muito a desejar. Já que foi artificialmente "colocada" a lavradeira na foto, porque não foi utilizado também o photoshop para eliminar o bocado de braço, tão inestético, que aparece à direita? Aguardemos para ver os restantes 35 trabalhos que foram presentes a concurso e que durante a Romaria vão ser divulgados e talvez, então, possamos tecer mais alguns comentários, embora sempre sem querer polemizar. O rei vai nu, ou melhor, o rei continua nu. Mas há quem goste e aplauda... A "labradeira" é bonita! O ovo de Colombo está (re)descoberto:
Anónimo disse…
Anónimo (continuação):Cartaz da Romaria?: basta uma lavradeira ... bonita, mesmo que sem par. Para nossa consolação, um cartaz de Romaria tem o valor que tem ...
Anónimo disse…
Resposta à pergunta: Como foi possível que a Associação Portuguesa de Design tivesse concordado???!!! O que pode fazer um elemento num júri composto por mais seis "altamente classificados" ???
Apostar naquilo que só é nosso! disse…
Para consolo de quem aqui manifesta o desagrado do cartaz para o ano vamos fazer 5 cartazes um dedicado aá ribeira, outro aos cabeçudos, outro ao fogo de artificio, outro aos tapetes e por fim a santa.
Os cartazes antigos sempre evidenciaram a lavradeira como simbolo e tradição da nossa cultura.
Sem ela a propria romaria perdia todo o seu interesse , tornava-se uma festa vulgar.
O que nos torna diferentes são a variedades de vestes que a região oferece ao visitante.
O FATO DE LAVRADEIRA É o FATO FESTA ( Ou seja da Romaria nas suas variantes).
Os costumes e tradiçoes faz de nós uma terra e romaria com caracteristicas unicas no País.
Ora o resto a que se faz alusão é comum em qualquer lado, fogo cabeçudos, tapetes,festa relegiosa....
Aquilo que nos faz diferente é aquilo em que apostamos, no simbolo da Região, conforme nos diz o Dr. José Alpuim.
Anónimo disse…
TRAJE DE FESTA (TRAJE DE LAVRADEIRA) / APOSTAR NAQUILO QUE SÓ É NOSSO: Ironia à parte, não é necessário fazer 5 cartazes! Basta um só, mas criativo, na linha dos que foram apresentados, por exemplo, nos anos de 1971, 1990, 1993, 2002, 2006 ou 2009, só para referir aqui alguns bons exemplos. É pena que ainda não se tenha percebido que o que está em causa é a execução de um Cartaz sobre a “ROMARIA DE NOSSA SENHORA DA AGONIA” e não, única e exclusivamente, sobre o traje à vianesa e muito menos especificamente sobre o “traje de Festa” de que tanto fala e que pode ser, nas suas variadas vertentes, da Areosa, de Santa Marta, da Meadela, de Geraz do Lima, de Afife ou até traje de Festa-Dó, embora o “traje à vianesa” seja, indiscutivelmente, um dos seus elementos axiais. Repare, p.f. que, se retirarmos o “lettering” à fotografia, para quem não conheça Viana do Castelo, e portanto não reconheça o troço da avenida nela retratado, a mesma fica sem identidade própria e passível de ser atribuída a um momento de um qualquer desfile etnográfico realizado em qualquer parte do País, para não dizer até do estrangeiro, com participantes com trajes minhotos, ou até mesmo em Viana, mas em contexto distinto do da sua Romaria. A fotografia, por demais redutora, não contém, “per se”, absolutamente nenhum elemento identificativo inequívoco e portanto caracterizador, revelador e alusivo à Romaria vianense. Só o “lettering” que, de acordo com o Regulamento do concurso, com o seu clausulado no mínimo, atabalhoado, altera até a exemplo já de anos anteriores, a designação original da Romaria, lhe confere, dizia, a identidade com a mesma. Apostar naquilo que é só nosso é apostar na “ROMARIA DE NOSSA SENHORA DA AGONIA”. Apesar de tudo, há que dizê-lo, é de louvar o gesto altruísta de quem, generosamente, ofereceu não 5, mas 12 trabalhos para a execução do cartaz da Romaria deste ano. E como sói dizer-se: Quem dá o que tem, a mais não é obrigado.
Reprodução de artigos Regionais disse…
As peças ( Vestes Regionais)expostas no Museu do Traje podem ser reproduzidas por qualquer pessoa.
Para se concretizar é necessário comprar o Livro ( Catálogo do Museu) onde destaca as peças ao pormenor, ter um pouco de habilidade artistica,reproduzir os desenhos e mandar executar a uma pessoa especializada em bordados.
O livro não faz referência a (Direitos reservados),a qualquer proibição ou execução de artigos ou peças , desenhos ,identicos ás fotografias expostas no mesmo.
Logo se pressupõe que a sua reprodução é livre ao alcance de todos que o queiram fazer.
Fina disse…
Vianenses acordem!!!!!!!!
O País precisa de ordem! Não de maldicência, invejas, mesquinhez tacanha!!
É SÓ UM cartaz!
Que por sinal está lindo - o movimento, o enquadramento,a delicadeza...Tudo!!!!
Anónimo disse…
ACORDEM OU CONTINUEM A DORMIR?
Anónimo disse…
Boa fotografia. Igual a muitas, que simples amadores tiram durante as festas.
Só não é tão contestado este cartaz, por que o autor foi mais esperto e colocou nele uma modelo mais bonitinha.
Os desenhos e bordados do Museu vão deixar de ser peças únicas. disse…
Não se compreende como é que o Sr. Benjamim Pereira , não alertou o Dr. José Alpuim , ao publicar um catálogo do Museu não salvaguardasse requisitos importantes no respectivo livro.
Os bordados expostos no Museu são peças raras, desta forma foram salguardadas situações no seu espaço que durante a sua visita é proibido a utilização de Maquinas fotográficas e qualquer tipo de filmagem salvarguardando assim um espólio de uma região que faz parte de uma cultura de um povo .
Muitos das peças , desenhos, e bordados que existem no Museu são consideradas peças unicas.
No Livro em causa ( Catálogo )esqueceram-se de regras importantes que deveriam salvarguardar o valor histórico e como consequencia vão tornar as peças originais vulgares e repetidas.
Quem anda nestas lides sabem bem que as "Cópias" são uma contante , e que a partir desta data muita coisa vai aparecer,identica ás peças do Museu.
Tudo se resumia a duas palavras " Direitos reservados"
Os responsáveis não se lembraram que as " cópias ", são uma constante e não me admira que em breve vão aparecer em série peças identicas ás do Museu.
Peças de arte em série disse…
Face aos factos o que é que nos diz o Dr. António Medeiros sobre o assunto , ou seja sobre o catálogo, publicado recentemente.
Anónimo disse…
o cartaz não, mas as fotografias estão giras... são coisas muito distintas... Mas afinal foram 36 ou 37 cartazes a concurso???
PRECISA-SE disse…
Precisa-se de um júri competente, profissional, credível, independente. Precisa-se de um Regulamento sério e claro para o concurso. (alguém já o leu com a devida atenção)? Precisa-se que haja prémios, digo prémios, que estimulem desenhadores, pintores, designers, fotógrafos e outros criativos a participar, sejam eles vianenses ou não. Depois de tanta polémica com o cartaz do ano passado e tanta expectativa criada com a decisão, após mais de CEM anos de história, da realização de um concurso público, que a própria senhora vereadora da cultura e o Sr. presidente da Câmara queriam que fosse uma experiência a nível nacional, a montanha pariu um rato. Não será legítimo ter esperado muito mais?
Haja bom senso disse…
Este anos queriam fazer um cartaz para as festas d'Agonia ou para a festas de N Senhora da vinha, em Areosa ?
Ciclo vicioso continua. disse…
Jose Alberto Sardinha diz no seu livro editado em 2002 o seguinte:
.... Não deve interpretar-se a letra a afirmação de Maria Emil1a Sena de Vasconcelos, em "como se se contrai um vicio",Centro de Estudos Regionais,Viana do Castelo, 1985,segundo a qual " a constituição do primeiro grupo folclorico terá sido em 1910-12 graça á iniciativa da sociedade vianense, o qual foi filmado pela empresa de filmes mudos "Pathé Gaumont".
Na verdade, percebemos que está a falar de uma realidade diferente conforme nos diz José Alberto Sardinha, logo a seguir esclarece que o tal grupo folclorico " Compoe-se de diversas crianças mimadas daquela familia (Branco), com fatinhos da região rigorosamente correctos de alguns pequenos vizinhos e amigos seus entre os tres anos e oito anos.
Desta forma vemos que apenas se tratava de crianças mimosamente vestidas á moda regional por suas eternecidas mamãs.
Esta senhora tinha a tendência de destacar a sua familia com bastante regularidade nas suas obras fazendo crer que eram os exemplos de outros.
Na verdade também o meu amigo Dr. Alpuim começa também a invocar os mesmo erros, começa a invocar com frequencia duas familias chegadas a si,caindo em erro, pois essas familias aristocráticas e burguesas não se articulam com as gentes do campo e seus costumes.
Anónimo disse…
Anónimo Anónimo disse...

É pena que a Senhora da Agonia e os pescadores mais uma vez ficam de fora... Também sou da ribeira mas o cartaz nao representa em nada as festas de Viana, a lavradeira é lindissima mas não é por isso que vou gostar do cartaz. Agora ja nem a nossa Senhora aparece, vergonhoso mesmo a festa devia-se chamar Festa das Lavradeiras e nao Festa da Senhora da Agonia padroeira dos pescadores e nao dos trajes.

16 de Junho de 2011 19:1...Peço desculpa ao autor/autora deste comentário, mas estive a rever os cartazes desde o ano de 1934, e contei duas vezes a presença da imagem da Nossa Senhora. As restantes eram lavradeiras e caricaturas das mesmas.......
luis madureira disse…
Para evitar tanta conversa de má língua, o melhor era não aceitar comentários de anónimos. Tenho a certeza que 90% não existiam.
O cartaz está muito bom.
Luis Semsura disse…
A censura já acabou em 1974!
O sr. Luís Madureira não é um Anónimo??? Onde está a sua identidade, BI, foto, morada nº fiscal etc para o seu total reconhecimento???
Luis Madureira é um Anónimo com letra grande pois é um Anonimo com heterónimos querendo fingir que não é. Indignou-se o senhor no ano passado com os anónimos??? Mas o pior é que quem apresenta com respeito opiniões diferentes da sua é invejoso, mesquinho e má língua. Ainda não percebeu que não são criticas pessoais? Só lhe falta dizer para porem "Ordem" nisto e fecharem este blogue.
Junta-te a eles . disse…
A máquina está bem montada.
São escolhidos a dedo ,ano passado levaram um abanão ,mas tudo voltou ao mesmo, ao fim de algum tempo.
As estruturas estão bem montadas e o acesso a gente nova está limitado.
Quando sai um já entra outro de lá de dentro de confiança. A minha avó dizia " Senão consegues lutar contra eles , junta-te a eles ".
Dou esse exemplo a seguir. doutra forma vai ser dificil derrubá-los.
Paulo Caldeira disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Verdade histórica do Fato Azul de Santa erradamente chamado de Dó. disse…
Parabens ao autor do pequeno livro de propaganda das festas de Santa Marta onde fala da história do traje azul de Santa Marta.
Pela primeira vez se fala num problema que já á longo anos veem caracterizando este fato como fato de dó quando na verdade nunca o foi.
Vemos etnografos que regularmente falam asneiras,dizem eles que é um fato para aliviar o luto, em folhetos, e em livros.
Mesmo numa tertulia feita a coisa de uma ano , continuava -se a debater este problema fazendo crer o que na verdade é mentira.
Mesmos os bons se enganam, no livro traje a vianeza de Claudio Basto também faz tema do fato de dó duma forma errada.
Ora vejamos; todos ss Fatos de Lavradeira sejam eles verde, vermelhos e outros, são conotados de fatos de Festa, ora uma pessoa que esteja de luto ou meio luto não vai para uma " Romaria".
O luto foi sempre negro , e rigoroso as pessoas não eram dadas nesses tempos a festas quando morria algum familiar.
Que seriam isto à 60 anos atras quando a censura publica era predominante.
Para se entrar numa igreja , a mulher estava limitada a regras.
Nos fatos regionais nunca se poderia considerar tal coisa festa é sempre festa.
Quando o homem se ausentava para fora a mulher não podia ir para locais publicados estava sempre apontada.
Fico agora admirado por a gente de Santa Marta repor a verdade porque muitos etnografos da nossa praça andaram sempre a dar um sentido errado as coisas.
Eles até sabem onde se encontra este registo em livro , mas como ao longo dos anos a verdade foi sempre deturpada, neste momento até teem vergonha de fazer uma correcção ao tema para corrigir aquilo que andaram sempre a dizer errado.
Vejam lá o que seria se chegassem á conclusão que Claudio Bastos descreve este fato duma forma errada!
Os Etnografos da terra fazem dele " O Deus dos Trajes" .
Mesmo no seu tempo alguns autores já não consideravam as suas afirmações como a Lavradeira fosse unicamente de Viana mas sim duma região mais extensa de todo Minho.
Faço lembrar ao autor do texto descrito no livro das Festas de Santa Marta que a noticia descrita sobre o Fato Azul foi tirada da Colecçaõ Arquivo de Alto Minho e foi redigida pelo autor José Rosa Araujo , que pode ser consultada na nossa Biblioteca Publica de Viana do Castelo.
O texto em causa ,os elementos focados,deve ser mencionar sempre o seu autor quer por uma questão de Ética e reposição da verdade histórica.
Ao etnografo de Montedor disse…
Uma Pergunta Ao Sr Benjamim Franklim sofre Fato de Dó.
Durante a sua juventude era comum na sua terra, penso que Montedor , ás vezes fico confundido se será Carreço.
Mas vamos ao que interessa: Dizia eu se na sua terra era costume as mulheres irem a Festa ou romaria duma terra vizinha quando havia luto em casa, ou já luto com algum tempo.
Penso que não,nesse tempo até seria muito rigido ,festas nunca.
Quem não usava estes fatos festivos,mas sim um traje civil era o preto que formalizava o luto,normalmente quando falecia alguém da familia (Parente)o luto era feito com tons de azul escuros, mas sempre duma forma discreta para não estar sujeito aos falatórios do povo.
Como è que explica este Fato Chamado de Dó , que eu considero um absurdo era usado para aliviar o luto na sua Terra " chamada Montedor".
Quero reafirmar que apenas estou em desacordo ao nome que lhe foi atribuido e não ao fato em questão, pois considero um fato lindissimo.
Histórias mal contadas sobre o fato de lavaradeira . disse…
Num dos Passeios regulares a terras do Minho, fiz paragem em Caminha.
Nessa altura depois de ter estacionado o carro , fui até ao centro civico.
Quando cheguei deparei-me com um exibição dum grupo folclórico que penso que era de Orbacém !
No decorrer das danças uma interlocutora e dançarina fez uma pequeno historial do grupo.
Entre todo o historial chamou-me a atenção uma parte em que envolvia o falecimento de familiares, dizia que o fato que trazia vestida ,era de Dó era um fato azul para aliviar o luto , em virtude de ter falecido o pai da pessoa.
Mas fiquei na duvida ! E pensei para mim então nos livros abordam os mesmos dizendo que os fatos ricos de lavradeira são fatos de ocasioes especiais , são fatos de Romaria.
Esta Lavradeira era um caso especial celebrava o luto do pai a dançar, e a festejar o momento com a alegria.
Seria mesmo isto , quando no tempos dos meus avós o respeito pelo luto era rigido .
Claro que não, isto são histórias mal contadas , não fazem parte da verdade.
Sr. Paulo Caldeira tem razão ! disse…
Concordo plenamente com o Sr. Paulo Caldeira.
Na verdade neste concurso, o que na verdade se viu foi que " No meio de cegos quem tem olho é Rei".
Para se fazer fazer um trabalho correcto, as "chamadas montagens " não seriam as melhores , concorrer com 12 trabalhos não está compativel com os demais concorrentes.
Os elementos exigidos no cartaz devem rigorosamente ser respeitados.
Quem impos as regras do jogo , que pense antes de fazer as asneiras,
para evitar polémicas.
Muita gente fala e não vê nada, não pensa , não raciocina,nem vale a pena estar a perder tempo com ignorantes.
Mas as águas tem de ser separadas e a verdade deve ser dita.
Para o ano exigam melhor aprendam com as asneiras, imponham regras bem defenidas.
Defenir o que se pretende e que seja cumprido um trabalho de " Arte" sem arranjos e sem montagens para os interessados voltarem a ter vontade de concorrer.
Caso contrário " morre tudo ao nascer " , os concorrentes são reduzidos e a selva continua.
Cuboi disse…
Na EXPO dos cartazes apresentados ao concurso D'agonia a ideia de nos porem a espreitar por um buraco para dentro de uns pequenos cubos onde estao as fotos de reduzidas dimensoes foi genial. Como nao se consegue ver nada de jeito e é preciso uma paciencia de job para andar as espreitadelas de furo em furo e de cubo em cubo vi pessoas a desistir a meio tal como eu. MOSTREM os cartazes sff e parem de gastar o nosso dinheiro em cuboiadas. Os concorrentes merecem mais respeito.
mae de jovem fotografo disse…
ACHO QUE A FALTA DE INCENTIVOS E APOIOS AOS NOSSOS JOVENS ESTUDANTES DE FOTOGRAFIA,MARKETING, COMUNICAÇÃO E DESIGN SÃO A PROVA DE QUE A NOSSA CÂMARA NÃO TEM UMA VISÃO DE FUTURO, ESTANDO SEMPRE AMARRADOS AOS VELHOS VÍCIOS VIANENSES...
TEMOS UMA CIDADE VELHA SEM DESENVOLVIMENTO POR FALTA DE APOSTAS AS INICIATIVAS DOS JOVENS
Anónimo disse…
Desencaixotem as fotografias
Catarina disse…
Já alguém reparou que as duas raparigas de trás estão com o corpo posicionado para olhar para a fotografia mas com a cara tapada pelos braços da romeira principal??? ja para nao falar que a iluminaçao da saia preta contrasta demasiado com a do publico... quanto ao cartaz em geral...enfim...mais do mesmo.
Falta de respeito e consideração disse…
Um falta de respeito e vergonha é o que eu entendo; não houve recepção nas instalações do Governo Civil às 400 mordomas que durante vários anos , davam os cumprimentos as autoridades.
Quantas delas esperam cerca duma horae meia cá fora a "esturrar ao Sol" para esperar que protocolo fosse executado.
Apesar de o cargo terminar, uma palavra de saudação e um obrigado, no exterior das instalações , ficava bem.
Pelos menos é o minimo de consideração que se pode dar a todos aqueles que se empenham na festa, colaborando activamente nela.
Foi pêna.
Viana ha-de arranjar outro como outro nome.
Morreu a andorinha , mas a Primavera continua.
Viana com muito alcool e cerveja , só não viu quem não quis! disse…
VIANA pela primeira vez ,apostou nas festas , em COPOS, muito VINHO ,e muita CERVEJA com musica á mistura.
Com o decorrer do Tempo, vamos ver as implicações de futuro que montaram e autorizaram na nossa cidade.
Para já os unicos a lucrar são os bares e pequenas tascas ambulantes.
Tragam bons hábitos para a terra, e não maleficios para a juventude.
Estão a copiar estrategemas de consumo bem identicos a festas bem proximas daqui.
Anónimo disse…
Em relaçao ano anterior a mordoma e bem mais bonita..mas a meu ver podia ser melhor,mais simples a imagem de uma mulher de viana "pura" se me faço entender sem retalhes e retoques...
Quanto ao cartaz e o custume nada de novo com tudo feito e pensado por pessoas que so ficam sentadas na poltrona a olhar...preferia a mordoma deste ano com o fundo do ano passado...
Organizao e zero estrelas,tantos anos e nao corrigem as coisas..muita coisa deve mudar e os primeiros e mesmo quem esta a mandar...
Ano de 2012 será o cartaz melhor de sempre. disse…
Pronto já chega de comentários mal dizentes, para o Ano 2012 vamos fazer o melhor.
Eu vou me empenhar em fazer o melhor cartaz de sempre, sem montagens,vamos novamento fazer concurso,e os temas escolhidos serão rigorosamente aplicados.
Anónimo disse…
1. A Câmara não convidou o Ministro da tutela mas uma ex-ministra?
2. Cerveja a patrocinar a "cidade do vinho" do Solar de Merufe?
3. A organização é a mesma? Pudera, o São Paio não larga a tenda.
Carrocel disse…
Estou feliz o carrocel que estava frente a minha casa foi embora de vez.
Já sabia as musicas todas de cor , joana come a papa.... eu vi um sapo .... aguentei este barulho Julho e Agosto.
Em sei que é engraçado a diversão para as crianças mas na marina tem espaço suficiente para montar o mesmo.
Para o ano mudem por favor para lá , teem espaço suficiente e podem por mais : os patinhos, corridas de carros etc.
Virgínia Passos disse…
Gostei muito do cartaz deste ano!
Parabéns pela escolha desta cara tão bonita e que faz "jus" à mulher Vianense!
Anónimo disse…
No próximo ano, o objectivo é ter 2 milhões em Viana! Vamos contratar a Claudia Schiffer para mordoma do cartaz!!!!
Anónimo disse…
.. embora de encenação repetitiva,.. é uma ROMARIA que considero invejável...
Anónimo disse…
Quer se queira ou não temos de entender que a festa da Sra da Agonia 2011 foi uma grande Romaria este ano.
Temos de louvar o Senhor São Paio , quer se queira ou não ,porque foi o Rei da festa , trouxe a televisão , trouxe á cidade 1 milhão de pessoas, e a cidade arrecadou 10 milhões de euros.
Bem Haja .
Para o ano queremos mais , a cidade bem precisa.
Armando Viana disse…
É este o cartaz que pretende publicitar uma das festas mais importantes do país?! Um cartaz de uma cidade que pretende ser um ponto de referência do ponto de vista turístico?! Uma festa que pretende apelar aos visitantes portugueses e estrangeiros?! É tão amador, tão fraco graficamente, tão rural (no mau sentido), tão provinciano, tão pouco apelativo! Como Vianense, é muito triste ver que até foi lançado um concurso para escolher o cartaz, e escolhem tal medíocre cartaz!
Não condeno o autor, porque os gostos são subjectivos e não se discutem. Mas o júri deve perceber muito doçaria e trajes regionais, mas seguramente está completamente ultrapassado no que diz respeito ao design e marketing!
Infelizmente, como vianense no estrangeiro, creio que é a verdadeira imagem da cidade, estagnada no tempo, sem ideias, desmotivante para jovens vianenses cheios de boas ideias e competências. Uma cidade com as prioridades todas invertidas, que cada dia que passa sofre cada vez mais estas faltas de visão e de inteligência de quem tem responsabilidades.
É muito triste. É um mero cartaz, mas que infelizmente diz muito mais do que isso. Assim não...

Mensagens populares deste blogue

VIANA | Praia de Paçô é uma das 10 melhores praias secretas para o “The Guardian”

MÚSICA | O coração bate forte em Viana