Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

XI Exposição/Feira de Artesanato da Romaria d’Agonia


A edição de 2012 da Exposição/Feira de Artesanato Tradicional e Contemporâneo abre as portas, como habitualmente no corredor central do Jardim Público Marginal de Viana do Castelo, a 11 de agosto, sábado, pelas 16h00. 
Integrada no programa da Romaria da Srª d’Agonia, esta Feira pode ser visitada até ao dia 20 de agosto e conta com cerca de 70 artesãos da nossa região que mostram um leque variado do artesanato que o Alto Minho tem para oferecer. 
Para além da exposição e venda de objetos artesanais, alguns dos artesãos presentes nesta feira vão demonstrar ao vivo como estes artefactos se produzem.

Comentários

Anónimo disse…
Espero que desta vez não apareçam artefatos made in China,como já vi em alguns stands noutras edições desta Feira.
Graça Lourenço disse…
Passei pela feira de artesanato no dia da sua inauguração e mais uma vez tive o desprazer de apreciar que se continua a ter uma visão esquinada do que deve ser uma feira/mostra de artesanato. Começando pelo princípio: O artesanato pressupõe tudo aquilo que não é habitual ver nas maioria das superfícies comerciais. Desde logo não só pela originalidade, mas sobretudo, pela forma de os produzir e, naturalmente, pelos materiais empregues. Sem perder de vista o esforço que deve ser feito pelas organizações responsáveis por este tipo de eventos, no sentido de sensibilizar os concorrentes na necessidade do trabalho ao vivo, direi que a bem da honestidade, qualquer artesão que se preze deve MOSTRAR como o produto, que exibe, se faz (ou fez), sem receio de ser plagiado.Qualquer "interessado" na matéria desistirá quando meter mãos à obra. É que o verdadeiro artesanato já não é o que era em termos económicos!.
Mas voltando ao assunto, pareceu-me ver muito produto exposto mas ninguém ou quase ninguém a manufacturá-lo. Ou seja, as excepções vão para uma artesã em macramé, outra na tecelagem do linho, mais uma para a modelagem do barro e...c'est tout!
É caso para perguntar: e o resto dos artesãos? Que me desculpem aqueles que não vi trabalhar, porque estariam impedidos ou a jantar. A falta de trabalho ao vivo é notória por isso não estou de acordo com o que o autor do blog publicou na introdução. Vi tudo menos o essencial. Para além do mais, nada de novo, ou seja, nenhuma novidade digna de nota. Espero ansiosa pela próxima edição.
Rosa (Taroca) disse…
Olá boa tarde !
Chamo-me Rosa conhecida por " Rosa Taroca ".
Desculpem algum erro ,pois os meus conhecimentos sobre computadores são reduzidos.
Sou uma bordadeira que desde criança labuta na terra e nas horas livres faz bordados executados á mão.
A minha avô , a minha mãe aprenderam esta arte e eu acabei por dar continuidade.
Como eu e muitas mulheres na minha terra( Perre) e noutras freguesias Samonde , Cardielos, Serreleis,Santa Marta... bordam e fazem trabalhos por "encomenda" para os ateliers dos " Artesãos " .
Confesso que alguns não são tão perfeitos, não obedecem a rigor e critério na elaboração de um desenho, foge-se ao risco para acabar a obra depressa e os arremates não são tão cuidados.
Para elaboração de algumas peças consoante o tamanho são dados pontos que podem demorar alguns dias ou semanas.
O trabalho não é feito num acto continuo mas sim por tarefas porque há trabalhos de casa a fazer.
A vista merece descanso e uma pausa é sempre necessário.
Conheço todas as casas comerciais de Viana , que trabalham e trabalharam com este tipo de artesanato, Marta, Caxinas,Gustinho,Milhões,Matinhos, Barboza,Estrela,Pacheco,Linda,Duro,
Henrique do Porto,Fontinha,Noémia,Leonor,Villa Maria e outros.
Os panos são bordados por gente " Anónima " , quem compra ,não os conhece .
Tal como eu estes bordados são executados por pessoas que dão muitos pontos e entregam a encomenda ao atelier do chamado " Artesão ou Artesã ".
Afinal qual é o nosso espaço neste mundo do artesanato ?
Nos bordamos para as encomendas para intermediários , que nada fazem , estes apenas investem transformam, comercializam , intitulam-se "artesãos " .
Apresentam-se sentados numa cadeira a dar uns "pontos" e aparecem nas revistas de lavores .
Os que bordam , os desconhecidos " A massa anónima "o que são afinal?
O que vi na televisão. disse…
As pessoas que tive oportunidade de ver no programa de televisão , fazendo referência aos Bordados de Viana não as conheço como artesãos mas sim como logistas que comercializam e fazem revenda de artigos regionais .
Com a excepção da artista que trabalha em filigrana e acessórios. de moda. Fabrica exclusivamente por sua conta ,não tem intermediários pelo meio.
Não sei por se esqueceram da D.Isilda ( Perre) também tem bordadeiras que fazem bons bordados como todos que trabalham nesta área.
Os bons bordados não são exclusivos de ningém.
Quem tiver dinheiro para investir , pode a qualquer momento ter obras de Arte, o resto é tudo conversa.
Bordado de Viana disse…
Há dias vi, uma artesã numa fotografia da net , fazer destaque aos bordados de Viana apresentando uma toalha. Os guardanapos apresentavam um bordado extremamente simples.
Apresentavam um caracol bordado simples , mas lembro que no tempo da minha mãe os mesmos apresentavam uma flor com aberto (Crivo), que podia ser uma rosa ou um coração.
Apesar de se pretender que o bordado mantenha as caracteristicas e rigor de outrora , os malabaristas apresentam coisas que só quem não está dentro do assunto não percebe.
Lucia do pisco disse…
Afinal tinha razao , andam a copiar os artigos dos outros.
É muito feio servirem-se de terceiros para fazer pelágios. Alguém tem carta de artesao lá para as bandas de Portuzelo mas respeito pela criaçao dos trabalhos dos outros é aquilo que nao existe .
Ética profissional é aquilo que nao aprendem na escola.
Três nomes diferentes , mas todos são bordados. disse…
Estive na capital muito recentemente onde encontrei bordados de Viana em lojas de artesanato.
Encontrei três facetas nos mesmos bordados:
Etiqueta com referençia a bordados de Viana do Castelo.
Outros , bordado Regional de Viana feito à mão.
Por fim bordados de Viana feitos à máquina.
O curioso é que são todos executados pela mesma pessoa com carta.
Não será uma forma incorreta de apresentar o mesmo artigo com muitas semelhanças ?
Vejo mais uma forma confundir os artigos em questão e apresentarem-se com preços diferentes.

Mensagens populares deste blogue

VIANA | Bicicletas desafiam os degraus do escadório de Santa Luzia

Funicular de Santa Luzia | A transportar pessoas desde 1923

VIAGENS À MINHA PRAIA | Na Praia do Cabedelo com Melânia Gomes

VIANA | Quinhentos dançarinos juntam-se para mais um Festival de Folclore Internacional