Notícias, atualidades e curiosidades acerca da cidade de Viana do Castelo, Portugal.

DE OLHO NA RUA: Antiga doca comercial é cemitério de barcos?

Como se não bastasse o barco Lírios do Neiva que naufragou mesmo em frente ao Navio Museu Gil Eannes, na antiga doca comercial de Viana do Castelo, futura Marina Atlântica, e que continua lá submerso desde o dia 18 de Agosto de 2011 (ver aqui), junta-se agora ao degradante Bilhete Postal daquele local, a embarcação Orion 2, atracada há muitos meses ao cais, mas que a cada dia que passa parece mais uma sucata de navio abandonado. 
Não haverá uma maneira legal de solucionar este problema que, para além da poluição visual, põe em causa também questões ambientais?



Comentários

  1. No link em baixo,podemos ver que esta draga já esteve detida em abril de 2010,no Porto de Setúbal por várias razões entre as quais a falta de segurança contudo este monte de sucata assentou arraial por cá há muito tempo sem nunca fazer serviço ,a mim cheira-me a facilidades das autoridades...
    http://www.imarpor.pt/manual_cliente/ai_ld_2010.htm

    ResponderEliminar
  2. Vergonhoso. Ninguém faz nada?
    Que se passa com a concessão da futura Marina Atlântica nesta antiga Doca Comercial.
    Nesta cidade anuncia-se tanta coisa, mas pouca se concretiza.

    ResponderEliminar
  3. O Cais do Porto de Pesca e do antigo Porto Comercial mais parece de um país do terceiro mundo. É lixo por todo o lado. Uma vergonha.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite,

    Alguém me sabe informar se o Orion 2 continua no mesmo local?

    Já agora alguém sabe a quem pertence?


    Vera

    ResponderEliminar
  5. Boa noite!

    Alguém me sabe informar se o Orion 2 continua no mesmo local? Quais são os barcos que se referem no inicio do texto, visto que só vejo a draga.

    Alguém sabe quem é o proprietário?

    Vera

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

VIANA | Os Monumentos Nacionais da Praça

VIANA | O Jardim Público noutros tempos

VIANA | Iluminações de Natal acendem-se a 1 de dezembro